Um grupo de professores da disciplina de Matemática da rede escolar municipal, contribuíram com um capítulo no livro “Experiências no Ensino de Ciências Exatas”, publicado no mês de novembro em formato de e-book no site da Universidade do Vale do Taquari (Univates). O capítulo, intitulado “Equações do 1º Grau com Uso do Aplicativo PHET”, destaca práticas educacionais através do uso do aplicativo PHET, uma plataforma que oferece simulações de ciência e matemática gratuitas e interativas. A atividade fez parte de um ciclo formativo dos professores participantes do projeto que se fundamentam no desenvolvimento profissional com foco em uma prática reflexiva e colaborativa.

A iniciativa surgiu por meio de uma parceria com o Programa de Apoio a projetos de pesquisa e de inovação na área da Educação Básica, edital FAPERGS/SEBRAE de 03/2021, com o projeto intitulado Aplicativos e simuladores no ensino híbrido ou remoto na área das ciências exatas e o Grupo de Pesquisa em Experimentação e Tecnologias Digitais (GPET) da Univates. O grupo formativo foi constituído a partir de um convite da Secretaria Municipal de Educação de Venâncio Aires aos professores de Matemática atuantes na rede municipal, em caráter de adesão voluntária. Contribuíram, na publicação, um total oito professores, sendo eles educadores das Emefs Cidade Nova, Alfredo Scherer, Coronel Thomaz Pereira, Dois Irmãos, José Duarte de Macedo e Otto Gustavo Daniel Brands.

De acordo com a professora da EMEF Otto Gustavo Daniel Brands, Teresinha Aparecida Faccio Padilha, a temática escolhida para o ciclo formativo, que são as equações do 1º grau, emergiu da percepção dos docentes sobre a dificuldade de aprendizagem desse conteúdo pelos alunos do ensino fundamental. “Durante os encontros mensais, debatemos recursos e estratégias que favorecessem o desenvolvimento de habilidades no que se refere às representações gráficas e simbólicas com vistas à resolução de problemas por meio de equações de 1º grau”, destaca.

Ainda conforme Padilha, o maior desafio foi efetivar a aprendizagem em sala de aula, especialmente através do aplicativo. “O processo de ensino não só demanda máxima atenção dos alunos, mas também necessita de uma abordagem prática para uma interpretação aprofundada de seus fenômenos. Isso implica em uma aprendizagem vivenciada pelo estudante, em contraste com aulas expositivas e a delegação excessiva de tarefas, que muitas vezes resultam em desinteresse por parte dos alunos. Assim, os experimentos virtuais são um recurso didático-pedagógico relevante, facilitando conexões entre fenômenos reais e a ciência por meio de atividades interativas, dinâmicas e divertidas”, finaliza.

A produção do grupo, com potencial para auxiliar ou inspirar outros colegas de profissão, encontra-se disponível no site: https://www.univates.br/editora-univates/publicacao/406.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui