A Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), professores e parceiros divulgam os projetos que foram aprovados no final de 2023 na área de inovação. O encontro ocorreu na manhã desta quinta-feira, 7. Ao todo, a Unisc executará seis propostas que totalizam mais de R$ 2 milhões captados em editais da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia do RS (Sict) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNDU).

A atividade foi dirigida pelo diretor de Inovação e Empreendedorismo da Unisc, Rafael Kirst. “Estamos empenhados, dentro do propósito comunitário, cada vez mais, em dedicar esforços para fortalecer a pesquisa e a inserção da ciência no nosso entorno, seja por meio  das dimensões de ensino, extensão, pesquisa e inovação. Os projetos apresentados hoje são reflexos desse comprometimento, evidenciando o impacto positivo que conseguimos desenvolver com nossas ações”, comenta o diretor.

Na oportunidade, a vice-reitora da Unisc, Andreia Rosane de Moura Valim, enalteceu a consistência dos projetos. “Temos capacidade de atrair investimentos na região justamente pelo capital intelectual, pelas pessoas que estão aqui, pela capacidade que a Universidade tem de gerar conhecimento à necessidade das pessoas. Temos aqui um ecossistema acadêmico que dá suporte, excelentes professores, pesquisadores, mestrandos e doutorandos, alunos da graduação, assim como setores de apoio que são fundamentais nesse processo.”

Detalhamento dos projetos

Praça STEM: Science, Technology, Engineering and Mathematics

Coordenadora Alessandra Gobbi Santos

Equipe: Jorge André Ribas Moraes, Adriano José Bombardieri, Luiz Carlos Schneider, André Luiz Emmel Silva, Rafael Guedes de Azevedo, Carmen Lúcia de Lima Helfer, Rafael Kirst, Ana Clara Hackenhaar Kellermann, Fábio Uptmoor e Letícia Blanck

Prefeitura Municipal de Santa Cruz do Sul (Secretaria de Educação) e Mercur

O projeto Praça STEM tem como objetivo despertar, nos alunos do Ensino Fundamental das escolas públicas municipais de Santa Cruz do Sul, o interesse pela área das exatas, por meio de atividades lúdicas e metodologias ativas que instiguem nos estudantes o gosto por novas descobertas no campo das Ciências, Tecnologia, Engenharia, Física e Matemática, aplicados durante a construção de maquetes funcionais da empresa alemã FischerTechnik.

As peças simulam projetos de Engenharia em escala reduzida, onde os estímulos como criatividade, imaginação, inovação, espírito colaborativo, comunicação, autonomia, flexibilidade, sustentabilidade e capacidade de lidar com diversas situações se farão presentes durante o desenvolvimento de cada projeto.

Como resultados prevê-se crianças e jovens mais envolvidos com a áreas das exatas, espera-se contribuir na redução das lacunas relacionadas ao aprendizado no ensino fundamental num universo de 224 crianças e jovens de duas escolas municipais.

Living Agro+Vales

Coordenador: Leonel Pablo Tedesco (técnico); Chana de Medeiros da Silva (coordenadora administrativa)

Equipe: Leonel Tedesco; Chana de Medeiros; Pietro Cunha Dolci; Andréas Kohler; Diego Vargas; Rafael Kirst; Michele Braun; Alexandre Dal Molin; Marcos Alexandre; Roselene Agnes e Elisa.

Empresas parceiras: MR Limpeza; Imply; Sicredi e Afubra

ICT parceira: Univates

Prefeituras de Santa Cruz do Sul, Vera Cruz e Venâncio Aires.

O projeto Agro+Vales desenvolverá atividades voltadas ao desenvolvimento do agronegócio nos 59 municípios que fazem parte da Região dos Vales. Contempla a instalação de “Estações Agrotech”, as quais irão captar dados em diferentes municípios da região que se transformarão em informação estratégica aos produtores locais.

Além disso, o projeto contempla a instalação de um espaço voltado ao desenvolvimento de produtos e soluções no agronegócio, o “Lab Tech”. Todas essas informações serão integradas e disponibilizadas na Plataforma Agro dos Vales, fortalecendo a rede de conexões entre produtores, indústrias e estruturas de apoio. O projeto também contará com ações de capacitação, treinamento e aperfeiçoamento no segmento do agro.

Agro nos Vales: insumos agrícolas sustentáveis

Coordenador: Andreas Köhler

Equipe: Rosana Schneider, Ênio Machado, Diego Prado de Vargas, Marisa Putzke

Empresas parceiras: JTI, SulMip

Objetiva desenvolver novas tecnologias para a produção de novos bioinsumos para o controle biológico (Anispoteromalus calandrae e Trichogramma pretiosum) e fertilização (frass de Hermetia illucens, BSF), objetivando a elaboração e avaliação das melhorias nas cadeias produtivas da região dos Vales, visando o uso eficiente de insumos e a redução da emissão de CO2, proporcionando uma produtividade sustentável e economicamente viável.

Bioconversão: processos agrícolas sustentáveis

Coordenadora: Adriane de Assis Lawisch Rodriguez

Equipe: Andreas Köhler, Ênio Machado, Diego Prado de Vargas

ICT parceira: Univates

Empresa parceira SulMip

Tendo em vista a demanda das cadeias produtivas agrícolas por novos bioinsumos e bioprocessos, os quais projetam a melhor eficiência e produtividade, visando uma redução da emissão de carbono, o projeto objetiva a elaboração de novos produtos e processos interligados para geração de biogás, biochar e bioconversão entomológica.

O desenvolvimento de processos de bioconversão de resíduos vegetais é uma das respostas para os desafios atuais no agronegócio, principalmente na Região dos Vales, caracterizada por cadeias agroindustriais de produção primária e de processamento alimentício. A combinação entre diferentes processos de bioconversão, aproveitando reciprocamente os subprodutos gerados, representa uma das ferramentas fundamentais para seu desenvolvimento e aperfeiçoamento, fortalecendo as cadeias já existentes, criando novas oportunidades de negócio.

Sequenciamento do DNA (genoma) dos fitonematóides de importância econômica na cultura da soja (glycine max) no Rio Grande do Sul

Coordenador: Alexandre Rieger

Equipe: Andreia Köche, Diego Prado de Vargas, Alexandro Cagliari e David Gabriel dos Santos Fagundes

ICT parceira: UERGS

Empresa parceira: Farm Connection Consultoria Agrícola

Criação de um banco de dados com as informações das sequências de DNA, ou seja, o genoma de fitonematoides – FITONEMATOMA – de importância econômica para a cultura da soja (Glycinemax).

Atualmente, são mais de 1 milhão de espécies de nematóides (vermes) existentes, sendo que 25% deles habitam os solos. Cerca de 10% dos que vivem no solo são parasitas de plantas e por isso são chamados de fitonematoides. Os fitonematoides se alimentam das partes da planta viva em contato com o solo. Algumas espécies de fitonematoides estão muito presentes nos solo agrícola e causam grande prejuízo econômico Os fitonematoides apresentam variações genéticas importantes entre as diferentes culturas e até na mesma cultura que parasitam.

Somente na cultura da soja, hoje o prejuízo já é de R$ 27,7 bilhões. Isso significa que, a cada 10 safras, uma inteira é perdida para os nematoides, na cultura da soja.

Projeto Quebrando barreiras: prevenir e cuidar das pessoas com Tuberculose e Hepatites C no sistema prisional

Coordenação: Lia Gonçalves Possuelo

Projeto de Extensão

Reduzir a incidência e prevalência de tuberculose e hepatite nas prisões através de estratégias de comunicação e educação em saúde a serem difundidas entre trabalhadores do sistema prisional e do controle social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui