Foto: Lauren Fernandes / Rádio Santa Cruz

Há mais de uma década, no 8 de março é celebrado o Dia Internacional da Mulher. A data, por ser comemorativa, pode até soar como festa, mas não para o lado feminino, que tem o dia como símbolo de luta. Assim é um momento necessário para olhar para a história e refletir sobre o que ainda precisa ser feito para que homens e mulheres tenham os mesmos direitos.

Em Santa Cruz do Sul, muitas mulheres estão à frente de diferentes setores, seja na agricultura, na cultura, no executivo, no esporte, na educação e demais áreas. Lugares esses que elas conquistaram com muito mérito. Na série “O Dia delas”, a Rádio Santa Cruz traz histórias de algumas delas para essa data especial.

História contada por elas

Paola Severo, jornalista e escritora, atualmente atua como assessora parlamentar da vereadora Nicole Weber (PTB). Desde sua adolescência escreve poemas, especialmente com temas femininos, e foi a partir dessa paixão pela leitura e pela escrita que decidiu seguir a carreira de jornalismo. Em 2019, lançou seu primeiro livro “Melodia Perversa”, e em 2020 lançou o segundo “Atelophobia”.

Junto com a paixão da escrita, aliado a estudos voltados a causa da mulher, Paola se tornou também uma ativista das questões femininas, participando de coletivos e atos em defesa do gênero, utilizando a sua poesia como forma de manifestação.

Paola se tornou assessora parlamentar de Nicole, que também é ativista da causa feminina. E através do ingresso nessa área, ela começou a trabalhar diretamente com questões de violência contra a mulher, prestando atendimento e auxílio as vítimas. “Nós temos um contato bem direto com essas mulheres, e conseguimos de alguma forma ajudar e para mim essa é a parte mais importante. É algo que sei que vai fazer a diferença na vida destas mulheres”, afirma.

Além de estar por trás do assessoramento de uma das figuras da causa feminista em Santa Cruz, Paola, que também levanta a bandeira em defesa da mulher, enxerga na literatura uma oportunidade de narrar, evidenciar e avançar a luta feminina. Em um de seus poemas, conhecido como “8 de março”, traz justamente a data como símbolo de resistência e combate ao machismo. “O 8 de março é um dia de luta, para a gente lembrar de todas as mulheres que perderam tanto, para que nós pudéssemos ter o que temos hoje. É uma data para refletir o que ainda precisa ser avançado”, observa.

Por: Kássia Machado e Lauren Fernandes

Foto: Lauren Fernandes / Rádio Santa Cruz
Foto: Lauren Fernandes / Rádio Santa Cruz

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui