Divulgação

A educação em Santa Cruz do Sul vai entrar em um novo patamar. Dentro de aproximadamente 60 dias, os cerca de 10,5 mil estudantes da rede municipal terão a sua disposição uma ferramenta que vai qualificar a forma de aprendizagem, integrando tecnologia e educação. Através de uma plataforma padrão – o Google Classroom – também utilizado pela rede estadual e algumas escolas particulares – os alunos terão disponível toda a estrutura organizada de uma sala de aula, em um ambiente virtual. Além disso, a Prefeitura quer disponibilizar, ainda este ano, internet para toda a rede.

Através da plataforma os estudantes poderão interagir com seus professores, participar de aulas virtuais e acessar os conteúdos disponibilizados. A ferramenta permite o compartilhamento de todos os tipos de arquivos. Para entrar, os estudantes receberão os dados de login e poderão acessar o ambiente direto pelo navegador ou baixar um aplicativo, válido para o sistema iOS ou Android, no seu aparelho.

A adoção do Google Classroom, na avaliação do secretário municipal de Educação, João Miguel Wenzel, é um salto de qualidade para a educação no município, independente de as aulas serem híbridas ou presenciais. “A tecnologia terá que fazer parte da realidade da escola pública e ser definitivamente incorporada ao cotidiano dos alunos. Estávamos muito atrasados nesse sentido e esse importante passo que estamos dando vai nos possibilitar logo ali adiante outros avanços”, disse.

Como explica o coordenador do Núcleo Tecnológico Municipal, Maurice Brandão, a fase atual é de implantação da ferramenta, o que deve levar em torno de 30 dias. Depois serão necessários mais 30 dias para a qualificação e treinamento do corpo docente. “A plataforma em si, não tem custos para o município, é gratuita. Já a implantação e o treinamento estão a cargo de empresas que foram contratadas para esse fim”, disse.

Maurice destaca a versatilidade da plataforma, como um recurso diferenciado para tornar a aprendizagem mais produtiva. “Haverá o ambiente da escola, gerido pela direção, e também o ambiente de cada turma com seus professores, onde o aluno entra e tem acesso aos conteúdos. Se o professor achar interessante tem a possibilidade de entrar no Google Meet e ter contato com o aluno mesmo remotamente”, explicou.

Para João Miguel, mesmo com o retorno às aulas presenciais, a nova ferramenta veio para ficar, a exemplo do que já acontece no ensino superior. Para ele a adoção de uma plataforma unificada é um legado que a pandemia vai deixar para a educação. “O professor vai dar a sua aula presencial e poder dizer para o aluno acessar na plataforma, tarefas de casa, conteúdos de apoio, enfim, será um leque de possibilidades para incrementar o aprendizado”.

Para a prefeita Helena Hermany, a preparação do aluno para a vida, através do uso contínuo das tecnologias, é uma necessidade urgente. “É necessária essa preparação dentre da escola, o mercado de trabalho vai exigir esse conhecimento e os alunos da rede municipal também precisam estar habituados a essas ferramentas”, observou.
Internet gratuita – Ainda este ano, a Prefeitura quer custear o acesso à internet para todos os estudantes da rede municipal. A partir da contratação das operadoras de telefonia, será desenvolvido um aplicativo, que poderá ser baixado no celular ou tablet para acesso ao Google Classroom.

Enquanto o estudante estiver utilizando o aplicativo, o acesso à Internet será bancado pela Prefeitura, sem qualquer limite de tempo. Já os acessos fora do aplicativo ficarão por conta do usuário. Estudantes que não tenham pacotes de dados contratados também terão acesso ao aplicativo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui