Foto: Luiz Fernando Bertuol / Secom

Criado em 2015, o Comitê Municipal de Prevenção ao Suicídio de Santa Cruz do Sul foi oficialmente instituído na manhã desta terça-feira, 18, pela prefeita Helena Hermany, em ato no Salão Nobre do Palacinho. Com a decisão, as ações realizadas pelo grupo poderão receber investimentos da prefeitura, e uma servidora estará dez horas por semana dedicada a potencializar o trabalho de prevenção.

“As ações de prevenção são mais eficientes e geram menos custos. Por isso, estamos agora dando mais força e visibilidade para o comitê com a sua oficialização. Eu imagino o desespero, a dor e o sofrimento que uma pessoa passa para tomar uma atitude como o suicídio, e é nossa função dar toda a assistência para que isso não ocorra”, afirmou a prefeita Helena Hermany.

Em 2020, Santa Cruz do Sul registrou 15 casos de suicídio, quatro a menos que no ano anterior. Apesar da diminuição, o número é considerado alto. Outras 146 pessoas tentaram tirar a vida. Conforme a presidente do comitê, a psicóloga Marliza Schwingel, é fundamental amarrar e aproximar ainda mais a rede de cuidado, formada por serviços de saúde, secretarias municipais, organizações e entidades da sociedade civil, para que menos vidas sejam perdidas.

“Os 15 suicídios registrados no ano passado foram por enforcamento, e essas pessoas não passaram pela nossa rede. Já as tentativas estão recebendo acompanhamento. Por isso, quanto mais a rede estiver conectada e próxima, mais vidas conseguiremos salvar. A sociedade precisa estar sempre alerta. Com o comitê agora empoderado, vamos baixar os índices”, disse Marliza.

A promotora de Justiça Cível em Santa Cruz, Nádia Baron Ricachenevsky, elogiou a decisão da prefeita e afirmou estar vivendo um momento positivo e um dia feliz. “Gratidão a Deus por estar dando essa contribuição para algo muito significativo. Temos ainda muito trabalho pela frente, mas a atuação do comitê é madura e com um grande envolvimento. São vidas e famílias esfaceladas que merecem o nosso cuidado”.

Coordenadora Regional de Saúde, Mariluci Reis, destacou que Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires e Candelária estão entre os municípios com os maiores índices de suicídio no Estado. “Por isso reconheço o empenho da prefeitura em dar poder para esse comitê agir. É nosso desafio baixar os números”.

A diretora de Ações e Programas em Saúde, Anelise dos Santos Aprato, agradeceu a prefeita por valorizar um tema tão importante. “Toda a sociedade precisa estar mobilizada e atenta para o problema, que é muito grave. Agora o comitê existe de fato e direito, o que trará ainda mais visibilidade”.

O encontro desta manhã também foi acompanhado pelo vice-prefeito Elstor Desbessell, pela secretária municipal de Saúde, Daniela Dumke, além de diretores e servidores da pasta.

Integram o Comitê Municipal de Prevenção ao Suicídio: a presidente Marliza Schwingel (Caps II), Sandra da Fontoura (Secretaria Municipal de Educação), Daniela Gruendling (Capsia), Reinaldo Kuchanski (Emater), Patrícia Fagundes (Cerest), Rosângela Machado (estudante de Psicologia), Marcelo Ferreira (Ambulatório do Diabético e Hipertenso), Salete Maria Kirst (6ª CRE), Michele Maschio (Caps AD), Hedi Jacobs (Política Pública do Idoso), Maria Alice Ferreira (Programa Saúde na Escola), Salete Faber (Sindicato Rural), Naira Zanette (Centro de Valorização da Vida – CVV), Carlos Stawisky (Unisc), Mariluza Bender (Hospital Santa Cruz) e Bárbara Esteves (Hospital Ana Nery).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui