Um grupo de pescadores no Iêmen fez uma descoberta que mudou suas vidas.

Eles encontraram o cadáver de um cachalote o qual estava repleto de âmbar gris (ou âmbar cinza) na barriga. Essa substância rara pode valer centenas de milhares de dólares porque é muito valiosa para a indústria da perfumaria, que a utiliza para preservar aromas.

Os pescadores obtiveram US$ 1,5 milhão (cerca de R$ 7,6 milhões), uma cifra inimaginável para muitas pessoas no Iêmen, um país atolado na pobreza e na guerra — o PIB per capita iemenita é hoje de US$ 750, menos de um décimo do brasileiro (US$ 8.717).

“Fiquei muito feliz. São sentimentos maravilhosos que não consigo descrever. Dou graças a Deus por isso”, disse um dos pescadores. “Se você encontrar âmbar-gris de baleia, é um tesouro.”

O âmbar gris (de cor acinzentada) vem do intestino do cachalote, um mamífero marinho semelhante às baleias, mas de outra superfamília de cetáceos (são odontocentos, que possuem dentes como os golfinhos, diferente dos misticetos, que possuem barbatanas ou cerdas como as baleias). Mas popularmente esses animais são conhecidos como baleia cachalote.

Há séculos o âmbar gris é considerado um produto de luxo: já foi usado em cerimônias religiosas, ou como afrodisíaco no Oriente Médio, ou como produto culinário fino na China e como ingrediente em poções medicinais tradicionais. Mas atualmente a substância é usada principalmente pela indústria de perfumes.

Mudança de vida:

O grupo de pescadores não esperava que sua descoberta valesse US$ 1,5 milhão.

“Somos todos pobres”, disse um deles.

Resolveram dividir os lucros e também dividir a inesperada riqueza com outras pessoas necessitadas: “Compramos casas, porque vamos nos casar em breve. E demos dinheiro para as casas de quem precisa.”

Mesmo com tanto dinheiro, alguns deles dizem que não vão parar de pescar.

“Estou como num sonho incrível. Mas tenho que ficar no mar, mesmo que não pegue nada. Está no meu sangue.”

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui