Foto: Zurimar Campos/Presidência da Venezuela

O secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), Luis Almagro, classificou como “ilegal e ilegítimo” o referendo sobre a região de Essequibo, na Guiana, convocado pelo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. A consulta foi realizada no último domingo, 03.

Em comunicado, o gabinete de Almagro denunciou a “posição agressiva” do governo venezuelano em relação à Guiana e disse que as crescentes tensões entre os dois países são “preocupação para a segurança regional” e ameaçam a “estabilidade e a soberania territorial” no continente.

Segundo o texto, o referendo, no qual a maioria dos cidadãos votou a favor da anexação do Essequibo à Venezuela, representa “mais uma vez” o uso “antidemocrático” dos “processos democráticos” por parte de Maduro.

“As recentes ações adotadas pelo regime na Venezuela não só colocam em perigo o desenvolvimento e a estabilidade da Guiana, mas representam risco mais amplo para a segurança da América Latina e do Caribe”, afirmou o secretário-geral da OEA.

Almagro pediu ao Conselho Permanente da organização que convoque uma reunião especial para “discutir possíveis medidas a fim de mitigar” as tensões entre os dois países sul-americanos. O governo venezuelano, que apresentou um pedido formal para deixar a OEA em 2017, não tem representação na organização.

Fonte: O Sul

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui