Foto: AI

Com uma atuação focada em reduzir seus impactos ambientais, a Mercur, indústria que atua na área da saúde e educação, vai construir em Santa Cruz do Sul uma Usina de Energia Solar Fotovoltaica. O investimento, que tem o início das obras previsto para julho, ocorrerá em sua sede no Distrito Industrial e vai ocupar uma área de 2 hectares. A primeira fase do projeto vai gerar 1,18MWp por meio de 2652 painéis fotovoltaicos, o que, segundo os técnicos da empresa, será capaz de suprir cerca de 50% do seu uso de energia.

A capacidade de geração de energia da usina poderá ser ampliada futuramente, alcançando o  total de 2,4MWp. “Com a construção dessa Usina, estamos dando mais um passo para reduzir os impactos humanosocioambientais de nossas atividades, além de contribuirmos para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas sobre Energia Acessível e Limpa”, ressalta Paulo Boufleur, responsável pelo projeto. Isso se dá pela redução da necessidade de transmissão de energia em  longas distâncias,  o que gera desperdícios, além de contribuir indiretamente para a diminuição da necessidade de criação de novas barragens hidrelétricas e do uso de energia térmica  que geram impactos ambientais bem mais consideráveis.

A construção era desejada e vinha sendo planejada há muito tempo pela Mercur, mas teve que ser adiada devido à pandemia de covid-19. O impacto ambiental causado no local onde ela será instalada será compensado com o plantio de árvores nativas em um espaço de preservação  de acordo com o levantamento  e determinação do relatório  elaborado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luis Roessler (FEPAM), que aprovou a obra. A previsão é que o empreendimento, que será executado pela empresa Parceria Solar, não impacte a rotina da empresa e esteja em pleno funcionamento em fevereiro de 2022.

Benefícios da Fonte Solar Fotovoltaica ao Brasil

Confira os principais dados sobre esse modelo de geração de energia, levantados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

  • Rio Grande do Sul é o terceiro maior produtor de Energia Solar com potência instalada de 681,2 MW
  • Mais de 9,5 milhões de toneladas de CO² evitadas
  • Mais de 264 mil novos empregos gerados
  • 1,4% da oferta de energia no Brasil foi gerada pela fonte solar fotovoltaica em setembro de 2020

Responsabilidade socioambiental

O investimento na Usina Solar faz parte de um movimento maior da Mercur que iniciou na Virada de Chave, em 2009, quando estabeleceu como propósito de sua atuação contribuir para um mundo de um jeito bom pra todo o mundo. Assim, desde essa época, vem tomando diversas medidas para reduzir os impactos negativos de sua atividade. Confira abaixo as principais ações da empresa neste sentido.

  • Carbono neutro. Em 2009, a empresa passou a monitorar as emissões de gases causadores do efeito estufa (GEE) gerados nas suas operações e de seus parceiros. Para reduzir essas emissões, passou a utilizar modos alternativos ao rodoviário (como a cabotagem, por via marítima) para transportar produtos e matérias-primas, além de iniciar o plantio de árvores nativas, a fim de compensar os impactos negativos que não podem ser reduzidos. Para cada tCO2e (tonelada de CO2 equivalentes), são plantadas 6,3 árvores, tornando a Mercur uma empresa Carbono Neutro.
  • Diminuição de plástico. A empresa iniciou um trabalho para reduzir e eliminar o plástico nas suas embalagens e produtos. Em cinco anos, deixou de utilizar 216 toneladas de plástico.
  • Borracha nativa Outro projeto que surgiu após a virada de chave foi o Borracha Nativa. A iniciativa, viabilizada por meio de parcerias com organizações da sociedade civil, comunidades indígenas e ribeirinhas, garante a compra de borracha natural extraída de seringais nativos da região para a fabricação de diversos produtos. Dessa forma, a Mercur vem contribuindo com a manutenção do modo de vida  dos seringueiros, e com a conservação de um mosaico de áreas protegidas no médio Xingu, município de Altamira (PA), com área de 8 milhões de hectares.
  • Nacionalização da Linha Apoio. A nacionalização da produção linha de apoio da empresa, que teve início em 2020 com o lançamento da nova Muleta Canadense Fixa, também faz parte desse movimento. Ela busca reduzir os impactos ambientais ocasionados pela importação de produtos, além de priorizar matérias primas sustentáveis e reduzir o uso dos insumos esgotáveis. O novo modelo da Muleta, por exemplo, utiliza  24% menos alumínio.
  • Bolsa Térmica Natural, o primeiro produto 100% renovável da Mercur. Ela é feita com caroços do açaí da Palmeira Juçara e revestida com uma macia camada de algodão orgânico. Produzidos por agricultores agroecológicos, esses insumos representam mais uma fonte de renda para centenas de famílias que auxiliam na preservação dos biomas em que se inserem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui