Foto: Luiz Fernando Bertuol / Secom

A Escola Estadual Guilherme Simonis agora é Escola Municipal de Ensino Fundamental Guilherme Simonis. Na semana passada, a Secretaria Estadual de Educação autorizou a mantença – termo formal de transferência – para que o Município assumisse a administração da instituição de ensino e continuasse a atender a comunidade do Distrito de Boa Vista, impedindo que ela fosse desativada.

“Quando uma região perde uma escola, isso é muito triste, é motivo de luto, encerra-se uma linda história. É uma enorme alegria estar aqui hoje, a união de diversas forças do Município e do Estado fez a diferença”, afirmou a prefeita Helena Hermany em visita à instituição.

Nesta terça-feira, doze alunos dos 26 atualmente matriculados ocupavam as mesas e cadeiras da escola. Eles foram divididos em três turmas: uma com estudantes do 3º, 4º e 5º anos, outra de 6º e 7º anos, e por fim uma com os do 8º e 9º anos. Aqueles que optaram por seguir no ensino remoto, retiram os materiais na secretaria. Em um processo de transição, as aulas são administradas por professores do quadro do Estado e do Município. A nova diretora é Andrea Weber, há 28 anos atuando na rede municipal.

“Este ainda será um ano de ajustes, de transição de recursos humanos, patrimônio, verbas. Pedimos um pouco de tolerância e paciência, mas vamos trabalhar muito para que a escola cresça e tenha ganhos em relação a situação atual. Esta comunidade merece”, disse o secretário municipal de Educação, João Miguel Wenzel, que também acompanhou o reinício das aulas nesta tarde junto com a coordenadora pedagógica Betina Thomas e o responsável pela 6ª CRE, Luiz Ricardo Pinho de Moura.

Ex-aluno da escola fundada em 1884, o vereador Jair Eich foi atuante na mobilização pela continuidade do ensino no local. “Sentimento de grande alegria e de orgulho. Fui alfabetizado nessas salas de aula, e agora pude contribuir para a construção da solução que trouxe tranquilidade aos pais e alunos”.

Além de ter sido um dos defensores da manutenção da instituição, o vereador Alberto João Heck agora também é um dos professores. “Parabenizo a Administração Municipal por ter aceito esse desafio e ter mantido a escola aberta. Destaco a celeridade com que esse processo ocorreu, em parceria com a 6ª CRE. Aqui palpita a vida da comunidade, que tem uma riqueza cultural muito grande”.

Os alunos que utilizam ônibus e estudam em escolas que ficam mais longe das suas residências podem pedir a sua transferência para a Guilherme Simonis. Em 2022, o governo municipal tem a intenção de ampliar o ensino também para a pré-escola e 1º e 2º anos do Fundamental.

Saiba mais

Desde 2015 a Guilherme Simonis vinha enfrentando problemas, em razão da gradativa redução no número de alunos, conforme revelado pelo Censo Escolar. Dificuldades com a questão do transporte, a adoção da multisseriação, depois o turno único, só agravaram a situação. A possibilidade que vinha sendo aventada, a de transferência dos poucos estudantes para outras instituições, algumas distantes mais de 20 quilômetros, não agradou a comunidade e assim, pais, alunos e professores se mobilizaram para evitar o fechamento. Com apoio dos vereadores, o poder público municipal se mostrou sensível à demanda e encaminhou o pedido para assumir a gestão.

Dentre as figuras ilustres que foram alfabetizadas na Guilherme Simonis estão o bispo Dom Alberto Etges, o ex-prefeito Arno Frantz e a artista plástica Regina Simonis.

Fonte: Assessoria de Imprensa

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui