Foto: Rodrigo Nascimento/Nascimento MKT

Representando os mais de 40 mil trabalhadores na indústria do tabaco, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Fumo e Alimentação de Santa Cruz do Sul e Região (Novo Stifa) e a Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Fumo e Afins (Fentifumo) acompanha com preocupação o início da 10ª Conferência das Partes para o Controle do Tabaco (COP-10). A falta de acesso, tanto às lideranças brasileiras quanto aos veículos de comunicação nacionais, desagrada a direção das entidades que espera um posicionamento favorável por parte do governo do Brasil no caso.

Participando do evento, o Presidente do Novo Stifa e Fentifumo, Gualter Baptista Júnior destaca que a conferência inicia com o cerceamento à cadeia produtiva do tabaco. “Marcamos uma presença firme e com nosso posicionamento neste evento. Por mais que sejamos cerceados como entidades e até mesmo a imprensa que enfrenta dificuldade em fazer seu trabalho, nós estamos aqui para mostrar para as autoridades que somos sim uma das partes desta conferência e deveríamos estar sendo ouvidos”, critica.

Baptista Júnior relata que a preocupação do setor – que participa do evento seja por meio das entidades ou por meio dos parlamentares gaúchos, tanto na Assembleia Legislativa, quanto na Câmara dos Deputados – diz respeito às decisões que podem ser tomadas durante a COP-10 que inicia nesta segunda-feira, 5. “Qualquer alteração que se faça no que diz respeito à produção do tabaco, certamente atinge manutenção e geração de novos postos de trabalho. O Brasil é reconhecido pela qualidade e experiência na produção. Se esta atividade legalizada não ocorrer no país, vai ser em qualquer outro lugar do mundo, prejudicando a cadeia produtiva nacional”, destaca, ao reafirmar que o posicionamento das entidades que juntas representam mais de 40 mil trabalhadores nas indústrias seguirá de forma firme no Panamá.

Mesmo sem a garantia de acesso, por parte da organização da COP-10, o Presidente do Novo Stifa e Fentifumo reforça o compromisso com os trabalhadores. “Estamos aqui com muito empenho e profissionalismo para que nenhuma decisão que venha prejudicar a produção do tabaco no Brasil seja tomada. Por isso, estamos vigilantes e confiantes de participar deste fórum mundial”, complementa.

A COP-10 ocorre até o próximo sábado, dia 10, no Centro de Convenções e Eventos do Panamá, na capital do país – Cidade do Panamá. O evento é coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), órgão ligado à Organização das Nações Unidas (ONU), realizado a cada dois anos em um país diferente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui