Na última sexta-feira, 25, o Comitê de Enfrentamento ao COVID 19 de Sinimbu se reuniu para avaliar a situação do município e para analisar o Plano de Cogestão Regional de Prevenção ao COVID 19 no Vale do Rio Pardo.

Após a apresentação e discussão dos dados, observou-se que a doença está estabilizada, onde essa semana o números de positivados se manteve o mesmo de 16 pacientes infectados, mas já curados. Todavia ainda existe suspeitos em isolamento domiciliar, o que requer o cuidado de cada um dos munícipes para que a vírus não atinja outras pessoal.
Também foi um momento em que o Comitê analisou as portarias Estaduais e o novo Plano de Cogestão Regional e decidiu conforme normas dessas portarias flexibilizar algumas atividades, permitindo que a população aos poucos volte a rotina tomando os cuidados necessários. Dentre elas está a pratica esportiva, sem público e aglomerações no pré e pós atividades, a liberação para eventos corporativos, como reuniões presenciais, feiras e palestras. É importante salientar que todas as permissões devem ser protocoladas junto a prefeitura Municipal para ciência do comitê, além de seguir as regras exigidas para cada atividade que está disponível para consulta no site da prefeitura municipal.

Além disso, Sinimbu irá fazer a adesão ao Plano de Cogestão Regional que passa a vigorar a partir de segunda-feira. Com essa adesão o município passa a adotar o modelo de distanciamento social menos restritivo das atividades, sendo que quando o Governo Estadual adotar a bandeira laranja, estaremos com restrições de uma bandeira a menos, no caso a amarela.

Dentre as ações planejadas está a ampliação de testes rápidos a população prioritária definida pelo Estado do Rio Grande do Sul, onde já foi testado os motoristas, profissionais de saúde e gestante, totalizando 72 pessoas testadas, sendo que todas estavam negativados para a doença. A próxima ação da secretaria de saúde é ampliar a testagem para o grupo prioritário dos profissionais da segurança pública, assistência social conselho tutelar, além de continuar testando as gestantes a partir das 37 semanas de gestação. Essa ação visa identificar a circulação do vírus em nossa comunidade assim como ter a possibilidade de bloquear a transmissão quando na identificação de casos positivos
Uma das decisões mais importante que Comitê tomou, foi pelo não retorno das aulas presenciais na rede municipal, mantendo se o calendário escolar na formato a distância, como vem sendo realizado até o momento.

A decisão foi tomada a partir de três situações que influenciaram, a primeira delas foi uma pesquisa realizada com todos os pais de alunos da rede municipal sobre se estariam retornando as atividades escolares caso a escola abrisse, onde 86% dos pais de alunos das EMEFs responderam que seus filhos não iriam para a escola caso voltarem as aulas, e 95% dos pais de alunos das EMEIs responderam que não levariam seus filhos nesse momento. O segundo critério avaliado, foi em relação ao transporte dos alunos, onde as empresas não estão dispostas a retornar as atividades por terem que transportar poucas pessoas, tendo prejuízo ao realizar o transporte nesse período. O terceiro critério que se levou em consideração é a metodologia recomendada pelo MEC para a realização das aulas presenciais, onde as turmas teriam que ser divididas por grupos e os alunos podem ficar até mais de um mês esperando sua vez de ir à escola.

A Secretaria de Educação informou nessa ocasião que o ano letivo independe de ser a distância contabiliza para ano letivo, e que todos os alunos estão recebendo os materiais e orientações dos professores, seja pelos meios de comunicação, seja de forma presencial agendado com o aluno, e que dessa forma nenhum aluno será ser prejudicado em seu aprendizado.

O Comitê ressalta que a liberação nesse momento de várias atividades de forma oficial, não significa que a população está livre de se contaminar e que deve se conscientizar que não se deve deixar de usar mascara, fazer a higienização frequente das mãos, evitar aglomerações, compartilhamentos de copos e que além disso continua proibido festas e junções comemorativas conforme recomendações Estado.

Confira o decreto na íntegra aqui:
https://www.sinimbu.rs.gov.br/Pages/184795/decreto-no-2659-de-30092020-estabelece-as-normas-aplicaveis-as-instituicoes-e-estabelecimentos-de-en

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui