Com o propósito de minimizar os efeitos econômicos negativos causados pela pandemia de Covid-19, a Prefeitura de Santa Cruz do Sul vai implantar um programa emergencial destinado a alavancar os pequenos negócios, manter empregos e gerar renda. Para viabilizar essa iniciativa, além da parceria com o Banco Regional de Desenvolvimento Econômico (BRDE) e a Credisol, o Município pretende utilizar os R$ 580 mil, que serão gerados com a reforma administrativa aprovada na Câmara de Vereadores, para a criação de um fundo garantidor.
Na quarta-feira da próxima semana, dia 13, uma reunião virtual entre a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedet), Credisol e BRDE, com a participação da prefeita Helena Hermany, será realizada para acertar os detalhes da parceria. “O objetivo desse apoio financeiro é evitar demissões e atrasos nos pagamentos, proporcionando fôlego financeiro às empresas atingidas pela pandemia e ainda, possibilitar reformas, aquisição de equipamentos e até ampliação de estruturas já existentes”, explicou o secretário da pasta, Marcio Farias Martins.
De acordo com a concepção do programa, que além da Sedet, tem a frente a Procuradoria – Geral do Município (PGM) e a Secretaria Municipal de Fazenda (Sefaz), o valor global estimado para concessão de crédito é de R$ 6 milhões de reais, volume suficiente para auxiliar um contingente de mil empreendimentos. Já o fundo garantidor será utilizado somente em caso de inadimplência e retroalimentado com os juros pagos pelos tomadores de crédito.
Para a prefeita Helena, o incentivo financeiro vai chegar em um momento importante, quando muitas famílias já estão sofrendo os efeitos da perda de receita e precisam de um suporte financeiro para dar seguimento a sua atividade. “Viabilizar esse empréstimo é uma das metas que estabelecemos pra os primeiros 100 dias de governo. Vamos com isso possibilitar que as pessoas e empresas mantenham suas operações e atividades, gerando renda e emprego para a comunidade”, observou.
Poderão recorrer ao auxílio, profissionais liberais, autônomos microempreendedores, microempresas e empresas de pequeno porte, por meio de cadastro junto ao Banco do Povo. A taxa bancária deverá ficar entre 1% a.m e 3% a.m. Já o prazo para pagamento será de 24 meses, com os três primeiros meses de carência e o valor total que poderá ser contratado pode chegar até R$ 100 mil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui