Foto: Reprodução

Em assembleia realizada na manhã desta terça-feira, 11, os prefeitos que integram o Consórcio Intermunicipal de Serviços do Vale do Rio Pardo (Cisvale) aprovaram um acordo de cooperação com a Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) para a realização do sequenciamento genômico para a detecção de variantes do novo coronavírus na região.

Cerca de 500 amostras de diferentes grupos etários, distribuídas entre ambos os sexos, devem começar a ser analisadas nas próximas semanas. As análises vão identificar as variantes do vírus em circulação e prevalentes no Vale do Rio Pardo.

“Essa é uma conquista importante que vai nos ajudar a acompanhar a evolução da pandemia na região. Mais uma vez o trabalho do Cisvale e da Unisc vai contribuir significativamente para a elaboração de estratégias para o enfrentamento ao vírus”, afirmou o vice-presidente do Cisvale e prefeito de Vera Cruz, Gilson Becker.

Em 2020 e 2021, uma parceria entre Cisvale, Unisc, Amvarp e Philip Morris, viabilizou uma pesquisa de soroprevalência do coronavírus no Vale do Rio Pardo. Em quatro etapas, foram aplicados testes rápidos em parte da população.

Amvarp e Cisvale acompanham quadro da Covid-19 na região

O aumento de casos de Covid-19 também foi um dos temas debatidos na assembleia realizada em conjunto com a Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp), com intervenções do Comitê Técnico da entidade. O novo aumento de casos da doença tem ampliado a procura por testes e deixado as autoridades em alerta. Na análise feita pelo médico Marcelo Carneiro, a variante Ômicron tem apresentado mais risco entre não vacinados e pessoas com esquema vacinal incompleto. A Ômicron também tem atingido um número maior de crianças.

A nova cepa também tem demonstrado ser mais transmissível, mas com efeitos menos nocivos entre os vacinados. Porém, Carneiro enfatizou que é necessário acompanhar a evolução do quadro para preparar o sistema de saúde e tomar as medidas apropriadas. O estabelecimento de uma estratégia é necessário porque a rede de saúde da região não possui leitos hospitalares suficientes tanto para adultos como para crianças, se a pandemia provocar o crescimento da necessidade por internações. De acordo com o médico, é necessário reforçar as estratégias de vacinação, principalmente da dose de reforço, e intensificar a testagem da população.

Para o prefeito de Encruzilhada do Sul e presidente da Amvarp, Benito Fonseca Paschoal, o cenário é preocupante. Ele pede que a população se conscientize principalmente da vacinação, do uso da máscara e da testagem em caso de sintomas respiratórios ou contato com situações de risco. “Já perdemos muitos amigos e familiares, não queremos que o pior volte novamente, assim como nenhum prefeito quer ter de voltar com as restrições”.

Estiagem – Benito Paschoal também apresentou relato sobre a reunião promovida pela Famurs no dia 10/01. Com a presença de representantes da Secretaria Estadual da Agricultura, senadores, deputados federais, Emater, Defesa Civil e Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, e de entidades como Fetag, Federasul, Farsul e Fecoagro, o encontro discutiu os prejuízos causados pela seca no Estado e medidas para mitigar os danos por ela causados.

“A estiagem já afeta todos os municípios da nossa região, a maior parte já decretou situação de emergência. Já falta água para as pessoas, para os animais. Se não há produção, não há gasto no comércio, no mercado, no posto de combustível, é toda uma cadeia. Precisamos atuar em duas frentes: na emergencial, levando água, trabalhando junto aos bancos e governos estadual e federal para conseguir crédito, mas também em uma solução a longo prazo, encontrando alternativas para armazenagem de água para o futuro”.

A assembleia contou ainda com a participação do advogado Gladimir Chiele, da Consultoria Direito Público. Ele abordou os cinco temas iniciais do encontro – reajuste do Piso Salarial do Magistério; desligamento de aposentados; impacto com o término da vigência da LC 173; vencimento da venda da folha de pagamento e negociação do cartão combustível; e orientações sobre saneamento básico e o relacionamento dos municípios com a Corsan.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui