Baixo nível das águas e a neblina foram responsáveis pelo encalhe do navio graneleiro Foto: FEPAM / Divulgação

Duas embarcações, uma na região de São Lourenço do Sul e outra em Porto Alegre, encalharam nesta sexta-feira, 21, em função da estiagem. Equipes da Superintendência e da Capitania dos Portos trabalham para fazer a remoção dos navios entre esta sexta-feira e o sábado, 22.

Em Porto Alegre, o navio, que é um graneleiro carregado com soja, seguia em direção ao Porto de Rio Grande quando precisou fazer um desvio de curso no canal. Conforme a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), a alteração de rota ocorreu por conta do baixo nível da água e da presença de neblina no trecho. A embarcação acabou encalhando em uma pedra.

Ainda segundo a Fepam, não foram registrados danos significativos no casco ou problemas de vazamento. Para remoção do navio, não será necessário uso de reboques. O procedimento a ser realizado é a retirada de cerca de 300 toneladas de soja, com o uso de um guindaste.

O tempo estimado para a conclusão do trabalho é de três horas, sendo necessária a presença de um segundo navio graneleiro e de um guindaste a ser montado para fazer a transferência. A expectativa é realizar o procedimento durante a tarde desta sexta-feira ou somente no sábado.

Por medida de segurança, lonas serão instaladas para evitar a queda de soja e farelo na água e para o caso de ocorrer um vazamento de óleo.

Parte da carga da embarcação será transferida para outro navio
Foto: FEPAM / Divulgação
Navio encalhado no Guaíba pode ser visto por quem circula pela zona sul de Porto Alegre
Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Estiagem também prejudica navegação na Região Sul

A outra ocorrência atendida pelas autoridades portuárias nesta sexta-feira é próxima a São Lourenço do Sul, na região do Canal da Feitoria. De acordo com a Superintendência do Porto de Rio Grande, a embarcação, com bandeira de Singapura, encalhou em consequência do baixo nível da Lagoa dos Patos e do vento.

Os rebocadores já estão no local e ainda não há previsão de quando será iniciado o processo de remoção da embarcação. A Superintendência afirma que a passagem dos demais navios não está sendo afetada. A embarcação saiu do Porto de Rio Grande e seguia para Porto Alegre carregada com 13 mil toneladas de fertilizantes.

Fonte: GZH

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui