Foto: Reprodução

A cantora Helena de Lima morreu na segunda-feira, 16, aos 95 anos, no Retiro dos Artistas, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. “Hoje nos despedimos de uma das vozes mais potentes do País, nossa querida Helena de Lima”, informou a casa em um comunicado.

Helena, que completaria 96 anos nesta terça-feira, 17, tinha Mal de Alzheimer e faleceu de causas naturais. Ela brilhou na década de 1950, tornando-se uma das mais populares cantoras do Brasil. Amada pela crítica, conquistou o seu espaço no rádio. Logo depois, tornou-se famosa também na televisão. Seu último álbum, “Sentimentos”, foi gravado em 2007, de forma independente.

O comunicado do Retiro dos Artistas diz ainda que a cantora “se manteve fazendo o que amava até depois dos 90 anos de idade, cantando e espalhando seu talento sem igual”.

Helena de Lima foi descoberta por César Ladeira na década de 1940, em um programa na Rádio Nacional, onde a cantora se apresentou como caloura. Em 1948, começou a trabalhar na boate Pigalle, na Zona Sul do Rio. Em 1952, gravou seu primeiro disco pela Continental. Em meados dos anos 1950, apresentava-se com frequência em diversas boates do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Foi contratada para o elenco da Rádio Nacional. Trabalhou ainda na TV Paulista e na Rádio e TV Record, em São Paulo. No final da década de 1950, iniciou uma parceria com o maestro Lauro Miranda.

Na década de 1960, lançou vários discos, alguns deles gravados ao vivo em shows na boate Cangaceiro, no Rio, onde se apresentava também, em dias alternados, a cantora Elizeth Cardoso. Uma de suas canções mais conhecidas é a marcha-rancho “Estão Voltando as Flores”, de Paulinho Soledade.

Fonte: O Sul

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui