Manifestantes protestaram contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na tarde deste domingo (12), na Avenida Paulista, na região central de São Paulo. Convocado pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelo Movimento Vem Pra Rua, o ato defende o impeachment de Bolsonaro e também cobra por mais vacinas contra a Covid-19.

Muitas pessoas usaram camisetas brancas para pedir “paz”, e se apresentaram como uma “terceira via”, defendendo “nem Bolsonaro, nem Lula”. A maioria usava máscaras contra a disseminação do coronavírus.

Nas faixas e cartazes era possível ler “impeachment já”, “respeito à democracia”, Bolsonaro traidor”, “Brasil, orgulho de novo, Fora Bolsonaro”. Alguns manifestantes também seguravam a bandeira brasileira.

A manifestação se concentrou em frente ao Museu de Arte Moderna de São Paulo (Masp) e à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), com trios elétricos e a participação de políticos. O ex-governador do Ceará e candidato à Presidência da República Ciro Gomes (PDT) foi um dos que discursou em um carro de som.

Além de Ciro, discursaram o deputado Kim Kataguiri (DEM), o vereador Fernando Holiday (Novo), o candidato à presidência em 2018 João Amoêdo (Novo) e a vereadora Janaina Lima (Novo), entre outros. O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta do governo Bolsonaro também foi ao protesto.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), também participou do ato, e discursou em cima do carro do MBL. Ele foi vaiado e aplaudido ao mesmo tempo e houve um princípio de confusão entre seus seguranças e manifestantes. O protesto durou 3 horas e ocupou cerca de 3 quarteirões da Avenida Paulista.

Durante o ato no Rio de Janeiro, eles gritaram palavras de ordem, pediram vacina contra a Covid para todos e também o impeachment de Bolsonaro.

Foto: Reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui