Foto: Rádio Santa Cruz

Em Santa Cruz do Sul as manifestações do Dia da Independência do Brasil, 7 de Setembro, começaram pela manhã, atos contra o governo e o Presidente Bolsonaro iniciaram as 9h, devido à chuva o evento aconteceu na Paróquia N. Sra. da Imaculada Conceição, os movimentos sociais, sindicatos, entidades de classe e partidos políticos estiveram reunidos junto ao ato celebrativo Grito dos Excluídos, realizado todos os anos no dia 7, promovido pelas Pastorais Sociais.

O evento contou com falas de representantes das entidades, assim como cânticos e músicas que refletem os valores e discussões levantadas neste dia. A 27° edição do Grito dos Excluídos e Excluídas contou com a presença de mais de 50 pessoas dentre eles a comunidade em geral, o ato aconteceu somente na Paróquia, pois chovia muito nesta manhã em Santa Cruz do Sul.

Palavras como perdão, solidariedade, vida, Deus, estiveram presentes para que quem estivesse presente refletisse sobre sua vida no geral. Um ato muito pacífico que contou com a palavra do Padre Jolimar Lemos que comentou sobre Deus querer estar presente, ele questiona “será que Deus quer estar acima de tudo? Não, este não é o nosso Deus”. O Padre Jolimar fez ainda uma observação a comunidade que não sabe mais dialogar, conflitar de forma pacífica a um objetivo comum “o mundo hoje é de surdos”. “Os ricos se fecham aos pobres, os brancos se fecham aos negros, os de direita se fecham aos da esquerda e assim vamos nos desumanizando e nos destruindo uns aos outros, mas Jesus nos cura de forma que possamos nos abrir ao outro, aquele que é diferente de nós”, enfatizou.

O Padre Jolimar Lemos falou sobre o governo e o presidente Bolsonaro, que usa a religião como algo a seu benefício, mas que desfavorece o povo, as mortes pela Covid-19, desemprego, pobreza, negacionismo, privatizações, o governo não luta pelo povo. O presidente do PT, Frederico de Barros, falou sobre a participação neste dia, onde em todo o ano no Grito dos Excluídos e Excluídas é pedido a participação popular, emprego, renda, democracia e entre outras pautas, e neste ano a pauta Fora Bolsonaro se fez necessário. “É um momento de reflexão e denúncia”, comentou.

 

Por: Central de Jornalismo da Rádio Santa Cruz

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui