Iniciativa da Secretaria de Saúde incentiva crianças a enfrentar seus medos

0
Foto: Divulgação

Quem é que nunca presenciou o ataque de choro de uma criança pequena diante da iminência de tomar uma vacina? Ou o desespero e a cara feia no momento de ingerir um remédio? E o ataque de pânico só de ouvir que vai fazer uma visitinha ao médico? Pois é para tornar mais fáceis para as crianças essas situações que fazem parte da rotina, que a Secretaria Municipal de Saúde, através do Centro Materno Infantil (Cemai) criou o projeto Pequenos gestos, grandes mudança – Certificando a coragem.

 

A coordenadora do Centro, enfermeira Carine Hermes, explica que muitas vezes, sem se dar conta, os pais acabam introjetando medo nos próprios filhos e tornando a visita para atendimento em saúde um momento difícil e traumático para os pequenos. “As vezes os pais chegam e falam que o filho tem que se comportar ou vai receber uma injeção”, disse. “Estudos mostram que falar para a criança que ela é capaz e que precisa passar por aquela situação faz com que ela se torne um adulto mais confiante”.

 

Na prática, o projeto consiste em encorajar as crianças, entre 3 e 12 anos, a reduzir medos e anseios advindos de traumas que a maioria apresenta ao chegar em um ambiente médico. “É muito importante que a preparação desses momentos comece pelo incentivo dos pais e se concretize na unidade de saúde, onde um ambiente acolhedor pode facilitar muito”, observou Carine.

Um pequeno urso de brinquedo foi escolhido para ser o mascote da iniciativa. Até a próxima segunda-feira, dia 16, todas as crianças que forem ao Cemai poderão escolher entre três sugestões de nomes para batizar o mascote. É só preencher uma cédula e depositar na urna, instalada na recepção, com uma das três opções: Pepê, Tito e Chico.

Após a definição do nome, a segunda fase do projeto segue com a premiação do Certificado de Coragem. No momento dos procedimentos os pequenos e seus cuidadores receberão orientações de enfermeiros e técnicos de enfermagem de como e o que está sendo realizado, priorizando o atendimento carinhoso, que faz toda a diferença na hora de enfrentar os medos, em especial da temida agulha. Serão premiadas com o certificado aquelas crianças que passarem por procedimentos como administração de medicação intramuscular, soroterapia, curativos e suturas.

Depois disso as crianças terão a oportunidade de fotografar junto ao mascote, portando seus certificados. Os registros poderão ser enviados pelos pais ou responsáveis pelo e-mail [email protected] e posteriormente serão divulgados em mural específico. Projeto semelhante já é desenvolvido no município pelo Hospital Santa Cruz e em outras instituições de fora, como o Hospital de Santa Catarina, Unidade de Diagnóstico por Imagem do Hospital Universitário da Universidade Federal de São Carlos (HU-UFSCar), Hospital Escola da Universidade de Pelotas, Hospital Regional Terezinha Gaio Basso e Laboratório Beneficente de Belém.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui