Foto: Carina Venzo Cavalheiro

Cerca de 200 pessoas, de 11 municípios do Vale do Rio Pardo, participaram nesta terça-feira, 21, no Salão da Comunidade Evangélica 25 de Julho, no município de Vale Verde, do 5º Encontro Regional de Sementes Crioulas. O evento foi promovido pela Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Prefeitura de Vale Verde e Articulação em Agroecologia do Vale do Rio Pardo.

Pela manhã a programação contou com apresentações artísticas de alunos do Projeto Social do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) de Vale Verde e das escolas Família Agrícola de Santa Cruz do Sul e de Vale do Sol, palestras e relatos de experiência.

O extensionista rural da Emater/RS-Ascar Ari Henrique Uriartt falou sobre “sementes crioulas orgânicas: um mercado seguro”. Uriartt apresentou aos participantes informações relativas à produção orgânica e às sementes crioulas e destacou a Instrução Normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) sobre a qual há um período de cinco anos para a produção de sementes totalmente orgânicas. “Esse prazo se dá para convertermos a produção de sementes que hoje é convencional e utilizada na produção orgânica para produção 100% orgânica, seja de milho, feijão ou outras espécies que são utilizadas e comercializadas pelos produtores orgânicos certificados pelo Mapa”, observou.

O extensionista também destacou a importância do Encontro. “Esse tipo de evento é uma forma de reencontrarmos e valorizarmos aquilo que é tradicional entre as comunidades de agricultores familiares, indígenas e quilombolas, que é o uso do conhecimento da cultura associado às sementes e essa utilização decorrente nos alimentos e nos preparos que são tradicionais nessas comunidades”. Em seguida, o público pôde acompanhar a palestra “resgate, produção e multiplicação de sementes crioulas: vivencias e trabalho na Cooperfumos/MPA”, da engenheira agrônoma Tatiana Schiavon de Albuquerque.

Após as palestras foram realizados os relatos de experiências. A primeira foi a da indígena Lúcia de Oliveira, de Vale Verde. “Meus pais plantavam de tudo um pouquinho, principalmente a minha mãe, mas nós não nos criamos nessa origem, pois com o passar dos anos cada um seguiu o seu caminho. Há quatro anos que eu desenvolvi essa agricultura familiar com a ajuda de muitas pessoas que me incentivaram para conseguir plantar e saber que do que eu planto eu colho um alimento seguro. É uma alegria, sempre falo que é bom voltar à nossa origem, pois não sabemos sobre o futuro, se vamos ter um alimento saudável ou não. Plantando, nós incentivamos um filho e um neto a conhecer suas origens e saber que dali terá um alimento saudável”, comentou. Finalizando as atividades da manhã, o engenheiro agrônomo Felipe Huff, de Cachoeira do Sul, apresentou a sua experiência com Sementes Crioulas.

No período da tarde a programação continuou com a mostra de artesanato e turismo rural e a troca de sementes crioulas entre os participantes.

Abertura

Na abertura do 5º Encontro Regional de Sementes Crioulas o gerente regional adjunto da Emater/RS-Ascar, Carlos Corrêa da Rosa, falou sobre a importância das sementes crioulas e a viabilização de espaços para a comercialização e divulgação destas sementes. “Essa é uma grande oportunidade para nós. A Emater foi convidada a coordenar a feira da agricultura familiar na Oktoberfest de Santa Cruz do Sul e porque não aproveitar esse espaço para vender e divulgar as sementes crioulas?! Estamos trabalhando nisso e em breve teremos mais informações para os agricultores”, comenta.

O prefeito de Vale Verde, Carlos Gustavo Schuch, ressaltou a importância do trabalho desenvolvido pela Emater/RS-Ascar. “Aqui em Vale Verde acreditamos no trabalho e na instituição Emater. Estamos felizes com a chegada da nova extensionista que veio para somar no nosso município e felizes em sediar esse evento na retomada das atividades nessa saída da pandemia. Esse é um momento especial, pois ao mesmo tempo que resgata o cultivo e a história das sementes crioulas, também vemos muitos jovens participando para aprender e fortalecer essas sementes”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui