Foto: Josemar Parise

A partir do mês de junho, para a aquisição de herbicidas hormonais os produtores deverão apresentar a declaração do Cadastro Estadual de Aplicador de Agrotóxicos Hormonais emitida pela Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) e a declaração do produtor rural, onde consta o nome do aplicador de agrotóxicos, sendo que esse precisa ter realizado Curso de Boas Práticas Agrícolas na Aplicação de Defensivos e estar registrado no Cadastro da Seapdr.

A Emater/RS-Ascar tem realizado cursos de Boas Práticas Agrícolas na Aplicação de Defensivos Agrícolas em todo o Estado. Na região administrativa de Soledade foram realizados seis edições do curso, sendo o último no município de Sinimbu na quinta e sexta-feira, 11 e 12, respectivamente. O curso integra as ações do Inspeciona-RS, projeto estadual de inspeção técnica de pulverizadores agrícolas, possui duração de 16 horas, é formado por atividades teóricas e práticas e ao final os participantes recebem certificado.

Em Sinimbu o curso de Boas Práticas Agrícolas na Aplicação de Defensivos Agrícolas foi ministrado pelo extensionista rural e assistente técnico regional da Emater/RS-Ascar, Josemar Parise, e os extensionistas rurais Luís Fernando Marion e Marcelo Cassol. A atividade visou qualificar os produtores na aplicação de produtos fitossanitários de maneira geral e, mais especificamente, na aplicação de herbicidas que têm como mecanismo de ação o grupo das auxinas sintéticas ou herbicidas hormonais.

Durante o curso são trabalhadas as normativas emitidas pela Seapdr, juntamente com a Legislação Federal, que estabelecem o regramento para o comércio e uso de herbicidas hormonais que, quando aplicados de forma inadequada, causa danos em cultivos sensíveis como a videira, oliveira, nogueira, entre outras. Esse processo envolve o produtor, o estabelecimento que comercializa e o responsável técnico que prescreve o produto e assina o receituário, de forma que o uso desses produtos não venha a causar danos a cultivos sensíveis de terceiros e causar implicações judiciais.

Parise explica que a operação agrícola realizada com maior frequência no ciclo produtivo das culturas de maneira geral são os tratamentos fitossanitários. “Por isso é importante o produtor se qualificar para que essa prática seja realizada com a maior eficiência possível. Para isso o produtor deve associar diversas variáveis começando pelas condições técnicas dos pulverizadores”.

O extensionista rural frisa que todos os componentes de um pulverizador devem estar em condições adequadas de funcionamento. Aliado a isso, o produtor aplicador de defensivos precisa dominar os parâmetros climáticos de temperatura ambiente, umidade relativa do ar e velocidade dos ventos. “Todos esses cuidados são necessários para que o produto biologicamente ativo atinja e controle o alvo como planta invasora, inseto praga e doenças, sem desperdícios do produto, com mínimo de deriva, ou seja, as gotas levadas pelo vento, baixo impacto ambiental e preservando a saúde das pessoas”, orienta.

Nesta semana, terça e quarta-feira, 17 e 18, respectivamente, o curso será realizado para agricultores do município de Santa Cruz do Sul. Agricultores interessados em participar devem procurar o escritório da Emater/RS-Ascar nos respectivos municípios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui