Já são 10 anos de Escola Família Agrícola de Santa Cruz do Sul – EFASC, no Vale do Rio Pardo, uma experiência educativa que atende preferencialmente, filhos/as de Agricultores/as Familiares Camponeses/as. A EFASC é uma escola comunitária, gestada pela Associação Gaúcha Pró-Escolas Famílias Agrícolas – AGEFA, que reúne mensalmente. A EFASC oferta o Ensino Médio Técnico em Agricultura, orientada pela Pedagogia da Alternância, compreendendo dois espaços formativos dos jovens, a sessão escolar (na escola) e a sessão familiar (família), alternadas semanalmente.

E, 10 anos já são 31 parceiros institucionais, entre União, Estado, 10 municípios do Vale do Rio Pardo (Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires, Vera Cruz, Boqueirão do Leão, General Câmara, Herveiras, Passo do Sobrado, Rio Pardo, Sinimbu e Vale Verde), empresas, associações, institutos/fundações, cooperativas, movimentos sociais e universidades. Essa rede de parceiros mostra o quanto a EFASC vem a cada ano dialogando mais com as frentes que trabalham com a Agricultura Familiar na região.

Nesse ano de 2019 formaram na EFASC, mais 22 estudantes, que estarão aptos a fazerem seus estágios profissionais ano que vem. A EFASC teve 106 estudantes (nas três turmas), 29 meninas (27%), e 77 meninos (73%). A presença feminina na Escola é crescente, pois em 2009 ano inicial, eram 52 estudantes, destes, 7 eram meninas (13,5%). Nesses dez anos, já são 54 jovens Egressas (21,5%), num total de 254, tendo 200 Egressos meninos. Para 2020, serão 117 jovens na formação técnica, maior número na história da EFASC, com um primeiro ano composto por 17 meninos e 17 meninas, paridade inédita. É o trabalho da Escola na busca de equidade de gênero, tão urgente e necessário à sociedade, e à Agricultura Familiar.

Todos os estudantes matriculados, têm vínculo direto com a Agricultura Familiar, vivendo e produzindo no Campo, com suas famílias. Por isso nossos Egressos/as, 254 jovens, há 228 (89,8%) mantendo o vínculo com o Campo, seja tocando a propriedade com a família, ou prestando assistência técnica ou ainda estudando numa graduação correlata a Escola. O acesso ao ensino superior vem sendo outra marca, pois dos 254, 110 jovens (43,3%) estão na universidade, e destes, seis cursam mestrado. Além da inédita parceria com a UERGS na oferta do Bacharel em Agroecologia que fechou seu primeiro ano. O que mostra a alta capacidade da nossa Juventude do Campo, quando oportunizada o estudo.

Além de toda carga horária de aulas, 2019 foi um ano de mudanças, pois a EFASC passou a ter sua sede própria, na Granja Municipal, desde fim de setembro, que já está proporcionando melhoras no processo formativo da Escola, que nesse ano realizou 140 visitas às famílias, somando quase 5 mil km rodados  no Vale do Rio Pardo. Além de 6 visitas de estudos e 25 atividades extras durante o ano, desde seminários, EFASC em debate e painéis. A Feira Pedagógica da EFASC, foi outro destaque, pois nesse ano comercializou 6,5 toneladas de alimentos livres de agrotóxicos, em 26 edições, mostrando todo o potencial de produção e organização da Juventude do Campo.

Foi um ano de muito trabalho, com resultados muito positivos, dado o reconhecimento da EFASC no plano regional, cada dia mais consolidada como uma Escola de Agricultores/as e para os/as filhos/as desses Agricultores. Vida longa a EFASC e que venham tantos outros 10 anos, com a Juventude do Campo, sempre!

*João Paulo Reis Costa e Adair Pozzebon – Coordenação