Marta Bohn é uma das milhares devotas que sempre participam da recepção ao padroeiro na sua comunidade. Foto: Edemar Etges

A cada edição, dois momentos importantes marcam a preparação religiosa das comunidades para as festividades alusivas em homenagem a São Sebastião Mártir, padroeiro de Venâncio Aires. O primeiro momento são as 13 missas da Trezena, que sempre são celebradas às quintas-feiras à noite. A décima terceira e última para a 146 edição da festa, foi celebrada na noite desta quinta-feira, 13. O segundo momento é a peregrinação da imagem, das bandeiras e da relíquia de São Sebastião Mártir pelas comunidades e núcleos da paróquia. Nesta edição, o padroeiro visitará 15 comunidades e a última visita vai ocorrer na próxima quarta-feira, 19, às 20h, na comunidade Santa Rita de Cássia do bairro Gressler. Da referida comunidade sairá na quinta-feira, 20 (feriado municipal), às 9h, a procissão motorizada com a imagem em direção à igreja matriz, onde às 10h, será celebrada a missa de abertura oficial da 146 Festa de São Sebastião Mártir.

Tanto nas missas da Trezena quanto nas missas da peregrinação, é comum ver os devotos renovando a sua fé e devoção no santo e pagando promessas por alguma graça alcançada por Deus com a intercessão do padroeiro. Muitos devotos participam das 13 missas da Trezena. Como devotos, estas pessoas crêem na intercessão do padroeiro e que ele atende os pedidos.

“Desde que me lembro e em praticamente toda a minha vida, eu acompanho a peregrinação da imagem de São Sebastião. Quando eu era criança até o meu casamento, participei da visita do padroeiro à minha comunidade, a Santa Teresinha, de Linha Bem Feita e depois de casada, participo da recepção na comunidade Três Santos Mártires, de Linha Hansel,” salienta a devota Marta Bohn. Ela também acompanha a caravana que leva a imagem para a próxima comunidade que é visitada. Ao falar do por quê sempre participa da peregrinação, Marta coloca que isto ela herdou de sua mãe, que a incentivou desde pequena a agradecer pelas graças alcançadas. “Vamos participar porque São Sebastião é nosso protetor contra as pestes e as doenças e assim fomos criados. E com o passar dos anos, esta fé foi se tornando maior e a gente pede graças, bênção e proteção durante todo o ano e sempre acompanho a procissão de pés descalços e sempre procuro estar de branco. Isto é algo particular meu”, refere. Marta reforça que o ano passado foi diferente para ela, pois encontrou o câncer, fez cirurgia e que pediu muito a São Sebastião que a abençoasse e protegesse. Acrescenta que ela não precisou fazer as terapias, apenas um acompanhamento posterior. “Por isso, tenho mais fé ainda e vou trabalhar na festa. Me convidaram e aceitei pois quem trabalha na festa, reforça o amor.”

A peregrinação tem como objetivo, preparar e convidar as comunidades e os devotos para participarem da festa, sendo ainda, uma oportunidade dos casais festeiros se apresentarem e intensificarem a divulgação da festa, com as atrações religiosas e sociais (galinhada e pastel, pois as demais atrações sociais, como as bandas, foram suspensas) e ação entre amigos. É ainda, um momento de integração e de confraternização das comunidades.

Tanto nas missas da Trezena quanto na peregrinação é refletido o lema geral da festa: “Na oração buscamos saúde, misericórdia e salvação com as graças de São Sebastião”.

Repórter – Edemar Etges/Rádio Santa Cruz

 

Peregrinação reúne devotos de diversas comunidades, que lotam as capelas durante as missas

Tradição da visita da padroeiro às comunidades foi inicia no ano de 1977

Fotos e texto- Edemar Etges/Rádio Santa Cruz

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui