Coordenador Municipal do Movimento Negro Unificado, Moacir Fanfa. Foto: Divulgação

A luta pela igualdade racial é permanente. Embora já se tenha avançado em relação ao racismo, ainda há muito o que ser feito e refletido. Por isso, neste dia 20, data em que se celebra o Dia Nacional da Consciência Negra, o Riovale Jornal aborda o assunto. Em Santa Cruz do Sul, em 2015 foi instituído pelo decreto 9.503, o Mês da Consciência Negra. “No primeiro semestre daquele ano propus ao prefeito Telmo Kirst via Centro Cultural Valeu Zumbi, que o mês de novembro fosse decretado o Mês da Consciência Negra. A justificativa era de que já em todo o Brasil aconteciam atividades no mês inteiro alusivas ao 20 de Novembro e Semanas Afros se tornaram curtas”, recorda o coordenador Municipal do Movimento Negro Unificado, Moacir Fanfa.

Ao ser questionado sobre os avanços relacionados ao racismo, Moacir inicia destacando a Conferência de Durban, em 2001, onde o Brasil teve marcante participação, alavancando algumas ações antirracistas e políticas públicas afirmativas para a comunidade negra. “Após essa conferência, sem dúvida foi o Estatuto da Igualdade Racial, sancionado pelo presidente Lula, em julho de 2010, completando dez anos agora”, aponta.

Além do racismo, outro assunto que ainda deve ser discutido e pautado são as cotas raciais. “Este é um assunto que particularmente tenho estreita relação, pois sou o autor da proposição que virou a polêmica lei das cotas raciais no nosso Município”, revela. “Também estive à frente da difícil batalha para a aprovação do projeto original das cotas raciais”, acrescenta. “Essa é a maior política pública afirmativa para corrigir a injustiça histórica a um povo que mais contribuiu com a construção desta nação, o povo negro”, completa.

Em se tratando de políticas públicas, Moacir Fanfa aproveita para frisar que os governantes já fizeram algumas ações que o movimento negro propôs, mas ainda se aguarda a criação de uma Coordenadoria Municipal de Promoção da Igualdade Racial, que ao contrário de um conselho será um órgão de governo.

A DATA

Para o coordenador Municipal do Movimento Negro Unificado, o Dia Nacional da Consciência Negra é a data do martírio de Zumbi dos Palmares criada pelo movimento negro durante Regime Militar. “Nós, negros, não aceitamos a princesa Isabel como nossa salvadora, nem o 13 de maio como data de liberdade”, diz. “Por isso, a inspiração na luta Zumbi contra o racismo e também outras formas correlatas de discriminações. Consciência Negra é a real percepção do negro, do seu papel e valor na nossa sociedade”, reflete.

EVENTO CANCELADO 

Nesta sexta-feira, o Conselho Municipal de Cultura de Santa Cruz do Sul, ONG Movimentação, Sociedade União e Complexo Negre realizariam uma live onde seria debatido o tema “Resistência Negra e Cultura no Vale do Rio Pardo. Mas, em virtude do falecimento da filha do presidente da Sociedade União, o evento foi cancelado. O objetivo era estabelecer uma relação entre os convidados militantes, ativistas, fazedores de cultura e intelectuais para discutir o contexto regional antirracista.

Fonte: Riovale Jornal

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui