O Brasil registrou 61.602 novos casos de coronavírus nas últimas 24 horas e 1.386 novas mortes pela doença, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados na noite deste sábado, 27.

Assim, o total de registros oficiais da doença subiu para 10.517.232, com 254.221 óbitos.

Conforme o boletim epidemiológico, São Paulo é o Estado com mais casos (2.037.267) e mortes (59.428). Na lista de registros de covid-19 vêm em seguida Minas Gerais (874.884), Bahia (680.904), Santa Catarina (668.811) e Paraná (643.344).

Por região, os números no Brasil são os seguintes: Região Sudeste tem o maior número de casos acumulados desde o início da pandemia, com 3,8 milhões casos e 117,2 mil óbitos. Em seguida, estão as regiões Nordeste (2,4 milhões de casos e 56,3 mil mortes); Sul (1,9 milhão de casos e 31,2 mil óbitos); Norte (1,1 milhão de casos e 26,9 mil mortes) e Centro-Oeste (1,1 milhão de casos e 22,3 mil óbitos).

De acordo com o Ministério da Saúde, 876 mil casos estão em acompanhamento.

O Brasil segue como o terceiro país do mundo em número de casos, atrás dos EUA (28,54 milhões) e da Índia (11,08 milhões), de um total de 113,66 milhões de registros globalmente.

Em número de mortes, o país tem a segunda pior marca, com os EUA superando 511,76 mil óbitos. No mundo, mais de 2,52 milhões de pessoas morreram devido à doença, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

Matéria-prima de vacina

Uma remessa de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) suficiente para produzir 12,2 milhões de doses de vacina contra a covid-19 chegou neste sábado, 27, ao Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Galeão/Tom Jobim).

O material veio em um avião procedente da China e deve ser encaminhado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) ainda neste sábado.

O produto será processado pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), que produzirá os mais de 12 milhões de doses de vacina AstraZeneca/Oxford.

Esse é o segundo lote de IFA que chega para a Fiocruz. Em 6 de fevereiro, já havia chegado um lote suficiente para produzir 2,8 milhões de doses, que ainda estão sendo processados pela Fiocruz.

Os 15 milhões de doses serão entregues ao Programa Nacional de Imunizações, para serem posteriormente distribuídos para os estados e municípios.

Até junho, a Fiocruz estima receber lotes de IFA suficiente para produzir 100,4 milhões doses de vacina.

Além do IFA, a Fiocruz também recebeu 4 milhões de doses prontas da vacina AstraZeneca/Oxford e deve receber mais 8 milhões nos próximos meses.

Fonte: O Sul

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui