Lourdinha, saiu (dia 7 de outubro), o prêmio Nobel de Literatura e quem faturou foi o escritor tanzaniano Abdulrazak Gurnah, 73 anos, que vive no Reino Unido e escreve em inglês. Ele ainda não tem nenhuma obra publicada no Brasil, amada. Mas já vou encomendar o livro dele, “Paradise” (Paraíso), em espanhol. Tenho que ler logo, amore.

Olha, Lourdinha, a única livraria (física) de Itabira, a cidade mineira do poeta Carlos Drummond de Andrade corre o risco de fechar as portas. A “coisa” já vinha se arrastando e a pandemia terminou de matar o que nos restava de cultura & livros, sabe.

Lourdinha… a cantora e compositora Rita Lee está com câncer no pulmão. Chade (pena).

Enquanto isso, Lourdinha, roubaram 2 garrafas de vinho do cofre do Itamaraty, em Brasília. As duas garrafas (que foram presentes recebidos), estão avaliadas em cerca de 60 mil reais. Ainda bem que a Polícia Federal recuperou as duas garrafas, depois de uma diligência que custou mais do que o valor das duas garrafas.

Vi que temos cerca de 236 mil palavras em nosso idioma e ainda tem gente que não sabe falar, só resmunga.

Soube, amore, que cerca de 7 milhões de pessoas morrem anualmente no mundo em decorrência da poluição do ar. Mamma mia!

O homem mais velho da França faleceu aos 112 anos.

O apagão do Facebook, no Instagram e no WhatsApp deu um prejuízo de 6 milhões de dólares para o Mark Zuckerberg. Mas ele já está rico que chega, sabe.

A Euromilhões (a Mega Sena da Europa) está acumulada em 178 milhões. Ave César!

Aos 41 anos de idade, nossa Gisele Bündchen revelou que já arrancou vários cabelos brancos que apareceram.

A igreja da Pampulha, nos umbrais mineiros, virou santuário, amore. Sim já estive lá e rezei por ti, amada.

Falar em mineiros, Lourdinha, estou relendo “Bucólicas” do mestre e poeta Virgílio e não é que detectei a frase usada pelos inconfidentes, principalmente o Tiradentes? Ao subir o cadafalso para ser enforcado pela Coroa portuguesa, Tiradentes disse em latim: “Libertas, quae sera tamen” (Liberdade, antes que tardia). Ou seja, fui… Encontrei a referida frase em Virgílio, no primeiro canto das “Bucólicas”, número ou linha 27, página 14 da edição da edição que estou relendo, amore.

Olha, Lourdinha, “Bucólicas” se refere ao campo, é pastoril, campesino, campestre, camponês, agreste e rural. E por aí afora, amore. E de fato ele fala em coisas campesinas. Mas é uma delícia, sabe.

Das outras duas vezes que li “Bucólicas” não me dei conta das frases usadas pelos mineiros, mas agora, atento ao texto em latim, na edição bilíngue (Latim e Português) e dei de cara com a frase e matei a charada, sabe.

Lourdinha, o Mercado Público de Porto Alegre completou 152 anos esta semana. Foi inaugurado em 1868 e conta com 103 bancas. E foi reformado depois do incêndio há 4 anos.

A obra Pietá, de Michelangelo, completou 470 anos e foi reformada recentemente.

Lourdinha, o (rei) Roberto Calos tomou a terceira dose da vacina. E tu, cara de tatu?

Maravilha, Lourdinha!

Dogival Duarte, escritor e poeta

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui