Foto: Divulgação

Neste dia 20 de setembro é comemorado o Dia do Gaúcho, data em que foi marcado o início da Revolução Farroupilha em 1835, no Rio Grande do Sul. O mês de setembro tem uma grande importância para o Estado e para todos os gaúchos espalhados por este Brasil a fora.

Em 20 de setembro de 1835, os farroupilhas – liderados por Bento Gonçalves – venciam o confronto da Ponte da Azenha e entravam na província de Porto Alegre. Iniciou-se a Guerra dos Farrapos, o mais duradouro conflito armado da história do Brasil que resultou na declaração de independência do Estado do Rio Grande do Sul, dando origem à República do Piratini, que durou cerca de sete anos.

A Guerra dos Farrapos – também chamada de Revolução Farroupilha – é o mais longo conflito armado ocorrido em território brasileiro (teve início em 1835 e terminou em 1845). O motivo mais comentado nos livros de história e perpetuado pelas conversas de galpão era a insatisfação com a taxação sobre o charque (carne-seca), base da economia da região e pilar da alimentação das pessoas escravizadas na região Sudeste. É considerada uma das mais importantes passagens da história do Rio Grande do Sul, um marco da formação social e política do Estado. A importância do dia 20 de setembro é tão grande que em 1978 foi decretado feriado em todo o Estado pela lei estadual 4.453/78.

Em julho, o governo estadual anunciou a personalidade homenageada da Semana Farroupilha deste ano. Lembrada pela participação e envolvimento na Revolução Farroupilha de 1835 a 1845 ao lado do marido, José Garibaldi, Anita Garibaldi tem a trajetória reconhecida em um momento que o protagonismo feminino gaúcho é pauta de pesquisas e projetos como o Peitaço, levando-nos a compreender que os “Caminhos de Anita” são trilhados também hoje por tantas mulheres gaúchas que lutam para que as próprias histórias sejam base e inspiração para quem está por vir.

FORA DO PADRÃO

Em 30 de agosto de 1821, nascia Ana Maria de Jesus Ribeiro. Com o nome de Anita e o sobrenome Garibaldi, Ana Maria estava prestes a mudar o próprio destino, tornando-se um simbolo de luta para o Rio Grande do Sul. No ano em que se comemora o bicentenário da Heroína de Dois Mundos, que morreu aos 28 anos em um campo de batalha, surge a oportunidade de refletir sobre o protagonismo da mulher gaúcha e como representações e narrativas são criadas acerca dessa personalidade.

Mais um ano sem desfile

Em Santa Cruz do Sul este ano devido a pandemia, como foi o ano passado, não haverá desfile de 20 de setembro, nem bailes. Mas a chegada da Chama Crioula no sábado, 18, deixa claro o sentimento e orgulho de cultivar a tradição e cultura, mesmo em tempos de pandemia. Os Festejos Farroupilhas 2021 seguem neste ano de forma virtual, nesta segunda-feira, 20, está marcado a extinção da Chama Crioula deste ano.

Como a aurora precursora
Do farol da divindade
Foi o 20 de Setembro
O precursor da liberdade

Mostremos valor, constância
Nesta ímpia e injusta guerra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra

De modelo a toda Terra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra

Mas não basta, pra ser livre
Ser forte, aguerrido e bravo
Povo que não tem virtude
Acaba por ser escravo

Mostremos valor, constância
Nesta ímpia e injusta guerra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra

De modelo a toda Terra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra.

Foto: Anita Garibaldi. Crédito: Divulgação
Foto: Divulgação

Por: Central de Jornalismo da Rádio Santa Cruz

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Favor preencher seu nome aqui